A tecnologia das tensoestruturas.

As estruturas de membrana, usualmente denominadas tensoestruturas, podem ser empregadas em vários tipos de edificações sejam elas industriais, comerciais, esportivas, de fins públicos ou privados, ou ainda residenciais, entre outros. Modernos estádios poliesportivos, centros comerciais ou de eventos no mundo inteiro, usam desta moderna tecnologia para a cobertura de suas edificações.

As estruturas de membrana já tem bastante aplicação no mercado brasileiro, haja a vista as modernas Arenas de Futebol projetadas para a Copa do Mundo de 2014.

Devido a sua própria característica, elas possibilitam formas superficiais infinitas e portanto, o desenho das tensocoberturas exigem conhecimentos especiais e novas tecnologias  de cálculo e dimensionamento de suas peças constitutivas.

São sistemas construtivos formados principalmente pela membrana estrutural, a qual ainda tem a função de vedar o ambiente a ser coberto. As membranas estruturais comportam-se intuitivamente como folhas naturais flexíveis que resistem às ações do vento, da chuva e outras intempéries, graças à sua forma, às suas características físicas e ao seu pré-tracionamento interno.

A forma da superfície é definida por uma configuração possível de equilíbrio. Suas características físicas definem a sua resistência à tração, impondo limites aos níveis de tensão que podem ser atingidos. O pré-tracionamento é necessário para assegurar que a membrana esteja sempre submetida a esforços de tração.

É importante ressaltar que o pré-tracionamento da membrana pode ser alcançado através do seu esticamento por meio de cabos que compõem o sistema estrutural de suporte, ou através da atuação da pressão de gases, no caso de coberturas infláveis, também conhecidas por coberturas pneumáticas. Cabe acrescentar que a membrana pode ser pré-tensionada ainda, pela ação conjunta da pressão interna e do tracionamento de cabos tensores.